Guia de viagem: EUA - Parte 1, Orlando e Cidade do Panamá (Panamá).


Oi pessoal, mais um guia de viagem atrasado para vocês, mas sabe o que é? Logo quando eu chego de viagem eu fico meu “deprê”, quem não é assim? Aí o tempo vai passando e eu vou enrolando em escrever. Mas deixei as principais informações anotadas para não esquecer de NADA.
Vamos começar fazendo o geralzão da viagem, viajamos no final de Março e início de Abril, agora em 2015. Fomos para Orlando, Miami e passamos uma horas de conexão na Cidade do Panamá (Panamá), super recomendo essa conexão com tempo suficiente para conhecer o Canal do Panamá e dar uma voltinha pela cidade. Como disse no Título, nesse post vou falar tudo sobre Orlando e a Cidade do Panamá. Em uma segunda parte falarei sobre Miami, combinado?

Passagens

Bom, esse é um assunto que vai ficar até desatualizado, porque hoje o que mais tem são passagens promocionais para os EUA, com o dólar nas alturas, mas vamos lá, compramos as passagens com 7 meses de antecedência e naquele momento a realidade era outra, os preços eram bem salgados, por isso, optamos por trocar as milhas em passagens, conseguimos uma promoção bacana no DOTZ (sistema de pontuação do Banco do Brasil). Atualmente, passagem não é o problema, tem promoções incríveis por aí, fiquem atentos em sites como “melhores destinos”e “passagens imperdíveis”. quando fomos comprar as passagens vimos que tinhamos a opção de conexão na Cidade do Panamá, pesquisamos e vimos que seria bem interessante passar umas horas por lá para conhecer um pouco da cidade, assim fizemos.

Hospedagem

Essa foi a a decisão mais demorada, tensa e difícil, pois quando estávamos decidindo onde ficar foi justamente quando estava tendo aquela onda de roubos em pousadas, que é a opção de hospedagem mais comum e econômica por lá, além disso o dólar estava começando a subir, então tinhamos que decidir rápido para evitar ao máximo a desvalorização da nossa moeda. Depois de várias considerações, optamos por ficar em uma casa e essa foi a melhor decisão que nós poderíamos ter tido. O preço ficou bacana, a casa era super confortável e em um condomínio bem localizado (perto dos parques) e seguro. Fizemos a nossa reserva com o pessoal da Fidelity Vocation Homes [Clique aqui] , conheci eles por meio do instagram e uma amiga me ajudou a avaliar a seriedade da empresa e deu TUDO certo. Fizemos o pagamento em algumas parcelas, via boleto (no geral, deve ser efetuado o pagamento de 50% do total das diárias à vista e o restante eles parcelam até a data da sua hospedagem). Optamos pela casa de 3 quartos no condomínio Lucaya Village (era a menor disponível e nós estamos em 2 casais, sobrou espaço!). A casa estava impecavelmente limpa e arrumada, a cozinha bem equipada com os utensílios e eletrodomésticos básicos. O condomínio aceita encomenda e cobra 5 dólares por caixa, fiz compras pelo amazon e mandei entregar lá e deu TUDO certo.

Parques e afins

Outra dúvida cruel é escolher entre tantas opções de parques e atrações, seguida por onde adquirir os ingressos. Nossa! A gente lê tanta coisa na internet que tudo parece ser duvidoso ou trabalhoso, mas vamos por partes. Nós íamos ficar 7 dias em orlando, então precisávamos dividir o tempo entre parques e compras (não era nosso objetivo principal, mas tinha que entrar na programação), decidimos que iríamos utilizar 4 desses dias em parques e 3 em shoppings e outlets (Intercalamos um dia de parque e um dia de compras, assim cansa bem menos). Optamos por 2 dias nos parques da Disney e 2 nos parques da Universal. Na Disney escolhemos o Magic kingdom e o Hollywood Studios, confesso que achei o Hollywood meio “estragadinho”, mas lá tem 2 brinquedos incríveis que COM CERTEZA valeram a escolha (Montanha russa do Aerosmith e a Twilight Zone Tower of Terror), o MK é um parque mais lúdico que mexe com as nossas lembranças infantis, achei bem legal, é um parque que TEM que ir, mas não sei se voltaria no MK, acho que só com os filhos, porque aí sem dúvidas seria bem diferente e muito mágico! Enfim, se é a sua primeira vez, vá! A queima de fogos é incrível! Não vou falar muito sobre os brinquedos e tal, pois eu não conheci todos, pedi um amigo que é fera nesse assunto para fazer um post para o blog. No geral, a gente pesquisou em blogs as melhores atrações e fomos nelas, infelizmente no período que nós fomos os parques estavam LOTADOS, em médio 60 minutos de fila, um horror, mas vale a pena cada segundo.










Além dos parques, fomos ao Amway Center (estádio que impressiona pela organização, tecnologia e infraestrutura) assistir um jogo do Orlando Magic e ao Cirque du Soleil assistir o espetáculo La Nouba, sensacional! o que era aquilo? Perfeição define, uma pena que eu estava muito cansada e com a luz do ambiente baixa “pesquei" algumas vezes…



Agora a dúvida cruel, onde comprar os ingressos? Depois de pesquisar muito nós decidimos comprar pelo Decolar.com, o preço estava levemente mais barato que nos próprios sites dos parques e do circo, tínhamos a opção de parcelar ( o que não acontece se vc comprar diretamente no site) e muito simples de comprar (site em português e conhecido). Confesso que fiquei morrendo de medo de dar algum problema na hora, mas não houve inconveniente algum, simplesmente apresentamos os vouchers nas bilheterias e retiramos os ingressos. Mas atenção! Antes de comprar os ingressos, pesquise sobre cada um deles, pois existem diferenças, na universal, por exemplo, se você não comprar o "park to park” você não tem direito de pegar o trem de Hogwarts de um parque para o outro, então tem esses detalhes, essas besteirinhas que fazem total diferença, cada parque tem um detalhe desse tipo que você precisa ficar atento. Existem blogs e mais blogs que falam só sobre isso.
Outra dica legal é baixar os aplicativos dos parques para você ficar por dentro de todas as atrações e horários, tempo médio das filas e reservar alguns brinquedos com antecedência sem precisar pegar fila.

Compras

O foco da nossa viagem nunca foi compras, mas já que estávamos nos EUA porque não aproveitar a oportunidade, não é? Conseguimos organizar tudo da viagem com o dólar entre 2,65 - 2,80, mas na hora de trocar o dinheiro para levar caímos entre 2,90 - 3,05 (pesado!). Muita coisa já não valia a pena comprar, mas roupas, cosméticos e algumas besteirinhas ainda valiam.  Logo quando compramos as passagens já começamos a pesquisar sobre os outlets, lojas e shoppings, escolhemos conhecer a Ross, T. J. Maxx, Marshall´s, Orlando International Premium outlets, Orlando Vineland Premium, The Mall at Millenia , The Florida Mall, Best Buy (loja eletrônicos) e Toys “R” Us (loja de brinquedos, em especial Funko Pops). A Ross, T. J. Maxx e Marshall´s são os outlets dos outlets, são lojas para garimpar mesmo, optamos por ir primeiro nelas e, sinceramente, não valeu a pena, é muita bagunça, muita desorganização, você perde muito tempo garimpando para encontrar uma coisa ou outra, não sei, tem gente que adora, eu acho que se você estiver com tempo sobrando não custa nada passar por lá e conferir o que há de legal, acaba que a diferença de preço dos outlets nem é tão grande assim. A melhor dica é fazer o download do mapa do shopping com as lojas e ir selecionando as que você quer visitar, isso economiza muito, mais muito tempo! É claro que você não vai ficar engessado, sem poder sair do roteiro, mas isso evita caminhadas supérfluas e economia de tempo! Leve uma mala de rodinha, para ir organizando as suas compras e evitar carregar sacolas e mais sacolas, vai com uma bolsa pequena, daquelas de ladinho, leve somente o necessário (incluindo o cartão de crédito, dinheiro, passaporte e celular para se comunicar com as pessoas, fundamental!). Dica preciosa, esquece o famoso “se eu gostar eu volto para comprar", se você gostou, leva! Os outlets são enormes, o fluxo de gente nas lojas é gigante, provavelmente você não vai encontrar novamente.
O ideal é você fazer uma lista com os itens que você pretende comprar, no caso de cosméticos e eletrônicos já pesquisar os preços nas lojas online e anotar direitinho, já roupas, sapatos e acessórios recomendo anotar o que pretende comprar e definir uma faixa de preço que você espera pagar por peça, dessa forma você consegue controlar os gastos e evitar compras por impulso, lá tudo se torna atrativo e necessário. Eu fiz isso e tive bons resultados, só me deixei levar pelos “camelôs” que tem nos outlets, roubada! A maioria das coisas ou não funcionam como prometem ou são falsificadas.

Panamá

Bom, tivemos uma conexão generosa na Cidade do Panamá (7 horas), então porque não conhecer, não é mesmo? Contratamos um passeio de 4 horas, no próprio aeroporto, não reservamos nada antes, que nos levou ao Canal do Panamá e um City Tour, foi ótimo! Isso nos custou 100 doletas, valeu super, permitiu conhecer um pouquinho da cidade e matar a curiosidade sobre essa obra faraônica que é o Canal do Panamá. Durante o City Tour descemos na parte histórica da cidade e sentimos um pouquinho do clima, confesso que me surpreendi com a parte “moderna” também, bem desenvolvida, não esperava isso de um povo que foi explorado até pouco tempo durante anos pelos EUA por meio da administração do canal, hoje essa realidade é diferente, felizmente. É claro que aproveitei para comprar um chapéu do Panamá original, que é fabricado no Equador rs* acho isso hilário! Então, fica a dica, se você quer conhecer outros lugares de “brinde” durante a sua viagem, só optar por conexões longas que permitam isso.






Espero ter ajudado um pouco com esse guia, em breve postarei a PARTE 2 sobre Miami.


Um beijo, Bruna Braga :*

Nenhum comentário

Postar um comentário

É tão bom receber um comentário seu =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...