Chia - O que tem de bom?

Boa tarde, meninas!

Quero primeiramente agradecer a paciência de vocês, estou me esforçando ao máximo para voltar a rotina diária de posts, mas está difícil devido a inúmeras mudanças no meu dia-a-dia. Com o tempo vou pegar o jeito, é uma questão de adaptação, porque de vontade aqui tem de sobra, amo muito isso aqui. 

Bom, não sei se todas tiveram a curiosidade de ler meu perfil, então não sei se todas sabem que eu sou nutricionista, em função disso resolvi usar o espaço do blog para publicar algumas informações saudáveis, é praticamente impossível separar tanto as coisas assim, sobretudo para quem ama o que faz, amo minha profissão e por mais que eu não queira misturar as coisas (blog/hobby + Nutrição/profissão), é praticamente impossível não considerar.

Antes de tudo, quero deixar bem claro que no que diz respeito a nutrição, tudo que for divulgado aqui será meramente a título de informação, nada de orientação e/ou indicação, pois quando falamos de alimentação saudável, mudança de hábito alimentar e afins, a consulta com o profissional se faz necessária, para evitar situações indesejadas, fui clara? Sempre é bom colocar os pingos nos "is", não é?

Vamos ao que interessa. Por que falar a chia? Esse grão chegou com tudo no Brasil e vem conquistando espaço na mesa dos adeptos a uma alimentação saudável. E isso não é à toa, ela faz por merecer, com o conjunto benefícios que possui, demorou a ganhar esse destaque.

A chia é cultivada na Bolívia, México, Chile e, atualmente, no Brasil. Nutricionalmente falando, ela é completa. Rica em fibras, fonte de aminoácidos essenciais (aqueles que o organismo não produz e, por isso, devem ser ingeridos por meio da alimentação, normalmente encontrados nos alimentos de origem animal), rica em ácido alfalinolênico (grupo ômega 3) e fonte de minerais como cálcio, ferro, magnésio, zinco, fósforo e potássio.

As fibras atuam retardando o esvaziamento gástrico, promovendo a sensação de saciedade por um período maior, diminuindo assim o consumo alimentar; favorecem o controle da glicemia, por tornar mais lenta a absorção dos açúcares pelo intestino; além de atuarem no bom funcionamento do trânsito intestinal, evitando a constipação, mas para isso é necessário o consumo adequado de água, do contrário ela pode favorecer a constipação. 

Por ser rica em ácido alfalinolênico, que possui ação anti-inflamatória no organismo, torna as células menos susceptíveis a estocar a gordura que não é saudável.

Por ser fonte de aminoácidos essenciais, comumente encontrados nos alimentos de origem animal, é uma excelente opção desses nutrientes para os vegetarianos.

Diferente da linhaça, a chia não possui sabor marcante, podendo ser aplicada em diversas preparações culinárias.

Mas atenção, por ser rica em fibras, ela pode dificultar a absorção de alguns minerais, além disso, como falei anteriormente, se não haver um consumo adequado de água, a mesma pode desregular o intestino, promovendo a constipação.

A recomendação de consumo geral é de no máximo 2 colheres de sopa por dia, mas esse consumo pode variar de indivíduo para indivíduo, por isso procure um nutricionista para saber o que é adequado para você.



Informação nutricional da chia (por 100 g):

Energia 371 cal
Proteínas 21 g
Carboidratos 42 g
Gorduras totais 31 g
Gorduras poli-insaturadas 25 g
Fibras totais 41 g
Cálcio 556 mg
Potássio 666 mg
Fósforo 750 mg
Magnésio 326 mg
Ferro 6 mg

Fonte: Revista Saúde, 2013.



Espero que vocês tenham gostado dessas informações e se quiser saber mais sobre determinado alimento, basta deixar a sugestão nos comentários.


Beijos, Bruna Braga :*


Fonte (imagem) - Revista saúde, 2013.

Nenhum comentário

Postar um comentário

É tão bom receber um comentário seu =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...